Figuras legendárias

14 de abril – Día del Tannat: Celebrando la cepa insignia de Uruguay

14 de abril – Día del Tannat: Celebrando la cepa insignia de Uruguay

Embora o Uruguai seja uma pequena nação, tem uma história destacada por superar as probabilidades. O Uruguai foi o primeiro país em vencer a Copa do Mundo de 1930; usa mais energias renováveis do que o resto (95% da eletricidade usa energias renováveis); e se tornou um campeão na improvável variedade do Tannat.

Apesar de que havia vinhedos nativos cultivados no Uruguai anteriormente, a primeira videira comercial foi semeada pelo imigrante basco Pascual Harriague, quem trouxe o vinho Tannat, nativo das suas terras bascas na Europa, e começou as plantações em El Salto, no norte do Uruguai, nos anos 1870. 

Desde então, começou a se espargir ao redor de todo o país, originalmente conhecido simplesmente como a uva “Harriague”, nomeada assim em virtude do pai do Tannat no Uruguai. Hoje em dia, tornou-se a variedade mais cultivada no Uruguai, com mais de 1.630 hectares, em todas as regiões de vinho do país. Como forma de homenagem à importância do Tannat para o Uruguai, o Instituto Nacional de Viticultura declarou o dia 14 de abril como o Dia do Tannat - no intuito de relembrar o dia do falecimento de Harriague, 14 de abril de 1894, e o seu duradouro legado no Uruguai.

Acredita-se que essa variedade foi originada no sudoeste da França, onde sua forte presença tânica é usada como principal ingrediente das misturas vermelhas - raramente vinificadas por si próprias. Mas no clima quente e atlântico do Uruguai, o Tannat se tornou uma estrela por si só. 

As grossas peles do Tannat, que dão a sua cor profunda e o tornam o vinho tinto mais saudável do mundo (rico em antioxidantes, antocianinas e resveratrol), amadurecem bem sob o sol quente, enquanto as temperaturas amenas da costa significam que o Tannat uruguaio preserva acidez refrescante e os aromas definidos da ameixa, framboesa e especiarias. 

Depois de mais de 150 anos produzindo Tannat, os produtores no Uruguai aprenderam a gerenciar o nível naturalmente alto de tanino da uva, que é de onde o Tannat recebe esse nome. Com macerações suaves e vinificação sensível, os produtores uruguaios são capazes de criar novos estilos de Tannat, que podem ser apreciados poucos meses após a vindima e alguns dos estilos mais jovens são despojados da influência da madeira de carvalho - com foco nos vibrantes sabores de frutas, energia e frescura da variedade. Incluídos nesses estilos juvenis de Tannat, há alguns ótimos exemplos de Tannat rosé e até de Tannat espumante, provando que essa é realmente uma variedade de muitas faces. 

O estilo tradicional do Tannat uruguaio, que também é popular nas regiões vinícolas do Uruguai, é um vinho Tannat mais estruturado e digno da idade, envelhecido em barricas de madeira de carvalho por um ano ou mais. Esses vinhos costumam ficar na adega por mais de uma década e, em muitas das vinícolas familiares mais antigas do Uruguai, é possível desarrolhar os vinhos Tannat dos anos 80 e 90, que mostram o potencial fantástico desse vinho para o envelhecimento.

Se você optar por tomar um copo de Tannat rosé refrigerado no jardim ou um copo quente de Tannat com corpo e envelhecido junto à lareira, convidamos você a fazer um brinde em nome da uva campeã do Uruguai. Feliz Dia do Tannat!

You may also like.

Figuras legendárias

Figuras legendárias: Reinaldo De Lucca

Poeta laureado dos vinhos uruguaios, De Lucca é um dos vinicultores mais respeitados do Uruguai .

Figuras legendárias

Figuras legendárias: Eduardo Boido

Eduardo Boido é um dos vinicultores mais prolíficos do Uruguai hoje em dia e está no comando de uma das principais vinícolas, a Vinícola Bouza. 

Figuras legendárias

Figuras legendárias: Daniel Pisano

Vamos conhecer Daniel Pisano - um dos três irmãos Pisano, que são a quarta geração da família Pisano em produzir vinho em Progreso, Canelones.

Stay Tuned.